Uma oração a ter presente constantemente no coração:

''Eu Estou entregue nas mãos de Deus.
Eu Sou Divinamente guiado/a e protegido/a
E em mim e por mim é feita a Divina Vontade.
Eu sirvo e manifesto a LUZ , Agora e Sempre!''

30.9.14

Principio de Incerteza - Hélio Couto



Principio de Incerteza
Nos relacionamentos afetivos existe uma dinâmica que deve ser observada no inicio, para que se possa ter sucesso.
O Principio da Incerteza, definido por Heisenberg, Nobel de Física, diz que a partícula tem posição e momentum. E que não é possível medir as duas coisas ao mesmo tempo. Ou sabe-se uma ou outra.
Acontece a mesma coisa quando duas pessoas se interessam em relacionar-se. Considerando apenas a posição (estágio de crescimento), é possível por algum tempo que o relacionamento exista, mas levando em conta o momentum (velocidade de crescimento), percebe-se que dentro de determinado tempo o relacionamento tornar-se-á inviável.
Tudo no universo é dinâmico. A Teoria do Caos mostra isso claramente. Esquecer disto é arrumar problema na certa. Em todas as áreas.
Em determinado instante na vida uma pessoa pode estar estável. Tem boa situação profissional, saúde, dinheiro, educação, etc. Tudo está bem. É uma pessoa com regularidade de comportamento, inserida na sociedade, com boa formação e etc.
Outra pessoa pelo contrário vem crescendo. Não importa se começou de baixo ou já nasceu com todas as condições materiais, educacionais, etc., para crescer. Essa pessoa tem um momentum maior que a outra. Sua dinâmica de crescimento em todas as áreas ou em apenas uma é muito maior que a primeira.
Em algum ponto da vida elas se encontram. Uma está estável e outra subindo. Evidentemente que por um período e isso depende tanto da posição de uma, quanto do momentum da outra, o relacionamento pode durar. Isto é, haver um relacionamento.
O que é um relacionamento será descrito em outro blog.
Porém como o momentum dos dois é diferente, inevitavelmente eles se distanciarão quanto mais passar o tempo. Depois de algum tempo não há mais quase complementariedade entre os dois. Se é que havia.
A freqüência entre os dois já é tão diferente que não há nem estática. Quando sintonizamos uma rádio num rádio com dial, à medida que vamos chegando perto da freqüência de emissão daquela rádio, começamos a ouvir um chiado. É a estática. Está perto. Quando sintonizamos na freqüência exata o som está limpo e claro. Se nos afastarmos a estática aparece novamente. Dentro de uma faixa de freqüência ainda há uma comunicação entre as duas pessoas, mas como o momentum é diferente, mais cedo ou mais tarde, não há mais contato entre os dois.
É muito importante perceber isso quando se começa um romance. E é muito importante não se “vender um peixe que não vai se entregar”. Isto é, fingir que gosta das mesmas coisas que o outro gosta, dos mesmos livros, filmes, religião, divertimentos, etc. Nesse caso está-se fingindo uma posição, porque a pessoa que finge já percebeu que o momentum da outra é muito maior. Como não dá para alcançar, finge-se que se está na posição do outro e que se consegue acompanhar seu momentum. Essa atitude acaba com o relacionamento em pouquíssimo tempo.
Quando a posição ainda é real pode durar um pouco, mas quando nem isso é, em alguns dias juntos já dá para perceber. Um casal já noivava a muitos anos. Aparentemente estava tudo bem com eles. Resolveram fazer uma viagem e ficaram 8 dias no mesmo quarto de hotel. Acabou o noivado.
Portanto, é preciso que haja uma avaliação realista tanto da posição quanto do momentum das duas pessoas, para que haja a mínima possibilidade de sucesso no relacionamento.
Para fazer uma avaliação realista é preciso raciocinar e conversar. É preciso tempo para avaliar. Isso não é fácil de fazer quando se tem paixão, mas é preciso.
E estamos falando de um relacionamento em que haja paixão e não somente interesses sociais, econômicos, familiares, etc.
É lógico que a pessoa que não tem momentum como a outra, pode resolver crescer e correr atrás do prejuízo. Só que se a pessoa já está nessa posição é porque sua zona de conforto é grande. E vocês sabem a zona de conforto é a coisa que o ser humano mais gosta (quero que o mundo acabe em barranco para morrer encostado). Quem tem momentum não pára nunca de crescer. Faz parte da sua natureza ou entendeu que o universo é assim e é preciso acompanhá-lo. Depois de um tempo isso passa a fazer parte da natureza da pessoa. Já está incorporado em sua personalidade. Fica fácil crescer então.
Se essa dinâmica for entendida e avaliada muito sofrimento será evitado e muita alegria se terá nos relacionamentos. E este planeta só será feliz quando os relacionamentos o forem.

Direitos Autorais:
Copyright © Hélio Couto. Todos os direitos reservados.
Você pode copiar e redistribuir este material contanto que não o altere de nenhuma forma, que o conteúdo permaneça completo e inclua esta nota de direito e o link: www.heliocouto.com

^^^^^^^^^^^^^^
Webs sites para mais informações sobre Hélio Couto e seu trabalho:




---

Sem comentários:

Enviar um comentário